sexta-feira, 17 de agosto de 2007

barroco mineiro no CCBB

cristo morto de Mestre Piranga

O cristianismo como religião, só foi de fato proclamada no ano de 380 d.C, e desde então, sua influência na sociedade é indiscutível, seja como referência política, artística, ou as duas coisas, já que para muitos arte não é só entretenimento, aliás isso é algo a se discutir; você pode até não gostar de religião como doutrina, eu pessoalmente, discordo de muitas coisas, mas isso não vem ao caso agora, a pergunta é: você gosta de arte? Eu adoro e mesmo quando me repudia, gosto também, um contraponto ao bom gosto? Como diz um amigo meu:" ter bom gosto é ter um gosto igual ao teu", verdade ou não (eu já atropelando e querendo falar de outras coisas...enfim), o CCBB está com a exposição Aleijadinho e seu tempo-Fé, Engenho e Arte, com obras suas e de seus contemporâneos: Mestre Piranga, Francisco Xavier de Brito, Francisco Vieira Servas e Manuel da Costa Athayde, que estão expostas nesse centro cultural que sempre traz grandes nomes da arte mundial. Seria desleal da minha parte destacar uma ou outra obra, pois as peças apresentadas são extramente ricas pelo seu contexto, beleza e estilo.Na verdade quero falar de outro grande artista brasileiro. No ano de 2.005, o mesmo CCBB, trouxe outro expoente da arte mineira, para muitos um completo desconhecido, para mim até então também: Farnese de Andrade.Imediatamente me apaixonei pelo seu trabalho, pelo seu universo melancólico e com tamanha influência a suas origens mineiras. Farnese foi ilustrador, gravador, pintor, mas destacou-se principalmente pelos seus objetos. Utilizando-se da técnica da assemblage, criou peças sombrias e interrogativas sobre o homem, suas angústias e sua solidão. Para quem não o conhece vale a pesquisa.


Anunciação de Farnese de Andrade

Nenhum comentário: