quinta-feira, 21 de maio de 2009

a noite embriagada



e a noite caia sobre minha cama antes mesmo de você chegar, e nem bem sei ao certo quando tudo começou, que a chuva impedia meus olhos de ver se você estava de fato ali ou se era uma sombra quente do seu corpo branco.
a sua? respiração tirava de mim a pouca concentração que tinha, pois tudo era tão confuso quanto a fumaça que pairava no ar, não sabia se era do meu cigarro, do asfalto quente ou dos meus olhos que também não sabiam se choviam ou nada mais era do que essa noite estranha.

e me beijava, e me beijava...e beijava minha boca, e percorria minhas pernas com suas dedos de sonho, o sono era meu? a boca era sua? e me embriagava do seu gemido de bicho e me perdia, e me encontrava? você me encontrava? se puder, segura a minha mão , as vezes tenho medo de acordar. não me deixe acordar ate essa nuvem dispersar essa noite que teima em cair sobre minha cama...e se puder...me beija...me beija...